MNAC

entrada: Condições Gerais

Programa Noite e Dia Internacional dos Museus

2010-05-15
2010-05-18

À conversa com João Onofre 

18h00 – Conversa com o artista a propósito da obra Catriona Sings, “Baldessari Sings Lewitt” re-edit, “Like a Virgin” extended version (2003)

Visitas temáticas à Exposição Um percurso, dois sentidos
18h45 – Paisagens construídas: inclusão, exclusão, harmonia (Dominguez Alvarez, Milly Possóz, Carlos Botelho, Fernando Lanhas, Vieira da Silva) - Helena Barranha
19h30 – Idílios campestres na cidade (José Malhoa, Silva Porto, Tomás da Anunciação, Cristino da Silva,) – Maria de Aires Silveira
20h45 – A arte como contestação (João Tabarra, Ângela Ferreira, João Pedro Vale) – Emília Tavares
21h30 - Harmonia social via erotismo (Francisco Metrass, José Malhoa, Eduardo Viana, Almada Negreiros, Helena Almeida, Julião Sarmento, Júlia Ventura, João Pedro Vale) – Rui Afonso Santos

Sarau na Noite dos Museus Programa Filho Único
22h00
Sei Miguel
Músico crucial nos avanços do jazz contemporâneo, Sei Miguel acaba de lançar o monumento precioso ‘Esfíngico - Suite For a Jazz Combo’, a sua estreia pela Clean Feed.
Para esta apresentação, Sei apresenta o seu programa de trabalhos ‘The Jewel System’, aqui na sua 2ª fase, ‘Casa Grande’, que se segue às três apresentações da 1ª fase deste processo, o ‘Metal Music 4’, que foi mostrado em locais como a Casa de Serralves e o Festival Out.Fest. O trompetista escreve: “segundo o compositor americano john cage a música possibilita objectos sonoros e sistemas. o 'jewel system', contrariando até certo ponto a corrente de "peças sei miguel", é um acontecimento muito humano, feito de materiais reflectores em ascensão”.
 A formação para este concerto, integrado nas celebrações da Noite dos Museus, é a seguinte:

sm - trompete, escrita e direcção
fala mariam - trombone alto
pedro gomes - guitarra eléctrica
césar burago - percussão

Sei Miguel. Nascido em 1961, Paris, viveu no Brasil e em França até radicar-se em Portugal nos anos oitenta. Cedo escolheu o trompete pocket, instrumento que toca com consciência plena de toda a história do jazz. Director, arranjador e instrumentista utiliza no seu trabalho soluções avançadas e singulares de timbre, fraseado, espaço e silêncio, que vem aperfeiçoando há décadas. É dos raros músicos da contemporaneidade que encara e manuseia o jazz como um universo de progressão artística e humana de potencial aparentemente infinito.

Fala Mariam. Trombonista natural de Lisboa. Em 80, durante uma viagem pelo norte da Índia, intuiu o fogo sagrado da verdadeira música, que reencontra no jazz mais iniciático e na gratificante descoberta de diversos trombonistas. Sidewoman de Sei Miguel desde 83, participa em todos os trabalhos deste. Cultora de uma frase sem brilhos fáceis, capaz do expressionismo mas também da maior delicadeza, Fala Mariam é uma referência nos actuais desenvolvimentos de um dialecto livre arquitectado nas estruturas do bop.

César Burago. Percussionista nascido em Angola, dedica-se inteiramente às músicas do jazz. Presença regular nas orquestrações de Sei Miguel, tem dimensionado com o trompetista, desde 97, um plano de possibilidades e impossibilidades métricas, ambas expressas em trabalhos onde a percussão (principalmente a pequena percussão) ganha um enigmático valor melódico.

Pedro Gomes. Guitarrista (em formato eléctrico e acústico) natural de Lisboa, trabalha um vocabulário assente numa leitura transversal à história do blues, do rock e do jazz, dos seus expoentes planetários até às franjas e margens destes ecossistemas. Co-fundador dos CAVEIRA e de formações defuntas como os Manta Rota ou Braço, trabalha com Sei Miguel desde 2009.


Entrevista http://bodyspace.net/entrevistas.php?ent_id=95

Vídeo ao vivo na Festa do Jazz do Teatro São Luiz em 2007 http://www.youtube.com/watch?v=LnKIq6vMe58

Dia Internacional dos Museus 2010
18 Maio. Terça -feira.
“Museus e harmonia social”
Entrada gratuita.


10.00 -12.30 h
Síntese do Corpo. Oficina pedagógica para o 1.º e 2.º ciclo do ensino básico
Limite de uma turma por oficina
Produção de uma peça a partir das obras de Lourdes Castro e de Helena Almeida em exposição.
marcação prévia: tel. 213 432 148. mnac-mc.catarinamoura@imc-ip.pt;


13.00 h
Outros Olhares
Conversa com Alexandre Melo em torno da peça Landscape de Julião Sarmento


15h30
A arte na cidade, um desafio. Visita temática à exposição Um percurso, dois sentidos. Catarina Moura


17h00
Um Percurso, dois sentidos. Visita comentada para todo o público. Rui Afonso Santos

Em Exibição

Imago 2021

Joakim Eskildsen

2021-10-14
2022-01-02
O MNAC é, mais uma vez, parceiro do festival Imago Lisboa, cujas propostas expositivas serão distribuídas por vários espaços da cidade e acolhe, na presente edição, o trabalho do fotógrafo, Joakim Eskildsen.
Exposição temporária

O artista do momento: o Homem do Paleolítico

2021-10-03
2021-11-25
No âmbito da participação nas Jornadas Europeias do Património, o MNAC apresenta uma exposição do cartoonista Luís Afonso
Exposição individual

Cursos de desenho e aguarela

2021-09-04
2021-11-06
Cursos de desenho e aguarela ministrados por Nelson Ferreira
Curso

O Caminho para a Luz porque Passa pela Luz

2021-06-22
2021-11-14
Com curadoria de João Biscainho, a exposição inaugural da nova Galeria Millennium BCP apresenta uma seleção de obras num diálogo entre as coleções do MNAC e do Millennium bcp, e de outras coleções nacionais e internacionais.
Exposição Coletiva

Ciclo “Mulheres Pintoras no Mundo Ibero-Americano” 2021- 2022

2021-06-17
2022-03-03
Ciclo de palestras que apresenta Pintoras que foram especialmente actuantes no Mundo Ibero-Americano e que ao longo dos séculos contribuíram para diminuir o preconceito de género e pôr fim a uma série de estereótipos no mundo das artes.
Palestras

Olhares modernos

O retrato em pintura, escultura, desenho (1910-1950)

2021-05-18
2021-12-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Cruzamento de olhares e o gosto por enquadramentos pictóricos na coleção do MNAC.
Exposição temporária

110 anos

2021-05-18
2024-04-01
Uma intervenção que celebra os 110 anos do MNAC.
.