André Alves. Double Exposure, 2017 (still vídeo)
André Alves. Double Exposure, 2017 (still vídeo)

Sala SONAE

entrada: Condições Gerais

ANDRÉ ALVES. DOUBLE EXPOSURE, 2017

2018-03-30
2018-06-03
Curadoria: Sandra Vieira Jürgens


ANDRÉ ALVES
Double Exposure

Em Double Exposure, André Alves investiga as possibilidades e os limites de representar e traduzir o real e expor ou tornar acessível uma experiência artística mediante um vídeo-poema, cuja narrativa dá voz à sombra que acompanha uma viajante. Expressão do ausente, do marginal, do invisível, do que não se pode explicar nem documentar, o texto é apropriado da obra de Nietzsche Der Wanderer und sein Schatten [O Viajante e a sua Sombra], história de um caminhante que é surpreendido pela sua sombra.

No seu vídeo, André Alves passa da situação de diálogo (citando o texto original de Nietzsche) ao monólogo, de modo a transmitir essencialmente o ponto de vista da sombra, dando dessa forma atenção ao que não pode ser explicado ou transmitido na documentação da experiência, e conferindo presença a um mundo invisível, ao que se esconde, ao que não vemos, à existência do informe, ao que escapa a qualquer representação, mas que ainda assim contribui para um qualquer resultado.

A narrativa e a convocação desta metáfora também servem para André Alves construir um espaço reflexivo em que indaga as características políticas, ideológicas, filosóficas, culturais e identitárias mais significativas da história da modernidade e a condição do sujeito contemporâneo no actual regime de comunicação e de informação, onde reinam a conexão e as redes digitais, a rapidez da comunicação, a visibilidade, a exterioridade, a positividade e a conformação. Neste quadro, a sombra, apresenta-se essencialmente como figura de resistência, ao colocar em jogo o incomunicável, o que abala, o que desorienta, o que nos transporta para o mundo invísivel e para a dimensão sensível da existência, da experiência e da linguagem.

Double Exposure foi concebido para o Research Pavilion: The Utopia of Access [Pavilhão de Pesquisa: Utopia do Acesso], uma iniciativa da Academia de Belas-Artes da Universidade de Artes de Helsínquia para a 57ª Bienal de Veneza (2017).

Sandra Vieira Jürgens


Apoios

Em Exibição

O poder da imagem

2018-10-12
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Estes retratos de artistas, poderosos em sensibilidade e qualidade técnica, destacam-se pelo seu carácter inédito.
Exposição da coleção

Carlos Relvas (1838-1894) - Vistas Inéditas de Portugal

A Fotografia nos Salões Europeus

2018-09-27
2019-01-20
Curadoria: Victor Flores, Ana David Mendes, Denis Pellerin, Emília Tavares
Esta exposição revela um dos períodos menos conhecidos da fotografia de Carlos Relvas e um conjunto considerável e inédito de provas originais em albumina
Exposição temporária

SALOMÉ LAMAS, EXTINÇÃO, 2018

2018-09-21
2018-11-25
Curadoria: Emília Tavares
O mais recente filme de Salomé Lamas, Extinção aborda a problemática das fronteiras na atual Rússia e o latente conflito que algumas destas regiões mantêm, sob o peso da história da ex-URSS.
Exposição individual

José Pedro Cortes. Um realismo necessário

2018-06-28
2018-10-28
Curadoria: Nuno Crespo
Em Um Realismo Necessário, José Pedro Cortes renova a sua forma de olhar para a matéria e a superfície do nosso tempo a partir de um conjunto de fotografias que revelam o seu interesse na representação do corpo
Exposição individual

ARTE PORTUGUESA. RAZÕES E EMOÇÕES

2018-04-20
2019-03-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Emília Tavares, Emília Ferreira
A presente exposição da coleção abrange grande parte do seu arco temporal, desde meados do século XIX até à década de 80 do século XX ocupando a totalidade das galerias da Ala da rua Serpa Pinto
Exposição da coleção