Atrium

entrada: Condições Gerais

O GOSTO PARISIENSE NO MUSEU NACIONAL DE ARTE CONTEMPORÂNEA

2016-04-06
2017-04-06
Curadoria: Maria de Aires Silveira

Um significativo conjunto de 11 obras francesas integra a coleção do Museu Nacional de Arte Contemporânea-Museu do Chiado. Corresponde a um interesse pela incorporação de autores consagrados da viragem do século XIX-XX e a um gosto por valores modernos da arte francesa, num período de valorização do regresso ao equilíbrio da forma.

Notícias e memórias de artistas portugueses em Paris, desde finais do século XIX, revelam a cidade como polo da modernidade, vivida em Academias Livres, cafés, teatros e residências (14 Cité Falguiére) numa boémia urbana ligada ao convívio artístico das vanguardas internacionais, interrompido pela I Guerra Mundial (1914-18). Nos anos 30, entre a afirmação do Estado Novo e uma intencional aproximação à arte e culturas parisienses, surge a figura de José de Figueiredo, Diretor do Museu Nacional de Arte Antiga, responsável pela preparação de uma importante exposição, no Museu Jeu de Paume, em Paris. Conta com a colaboração do conservador do Museu, André Dezarrois, seu amigo, e apresenta uma espécie de mítica viagem pela arte portuguesa, ao longo do tempo: L’Art Portugais de l’Époque de Grandes Découvertes au XX ème siècle.

Pouco depois, em 1934, a arte francesa é apresentada em Lisboa, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, numa grande exposição, comissariada por José de Figueiredo e André Dezarrois, e organizada pela Direção dos Museus Nacionais Franceses. Neste ano, o Diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea, o pintor Adriano Sousa Lopes, adquire esculturas de Auguste Rodin (1840-1917), Antoine Bourdelle (1861-1929), Joseph Bernard (1866-1931), múltiplos de obras, em bronze, integradas nesta exposição. Inicia assim a constituição de um núcleo de arte francesa, preenchido em 1937, com o legado de 6 desenhos de Rodin, da coleção de José de Figueiredo. Ainda uma aquisição de Diogo de Macedo, Diretor do MNAC, em 1947, e uma doação, em 1987, acrescentam peças relevantes de Aristide Maillol (1866-1941) e Jean-Baptiste Carpeaux (1827-1875) àquele conjunto de 3 esculturas.


Maria de Aires Silveira

Em Exibição

Eileen Gray. E.1027, Arte Total

2021-11-28
2022-02-27
O Museu Nacional de Arte Contemporânea acolhe a exposição ‘Eileen Gray. E.1027, Arte Total’
Exposição temporária

.

2021-11-25
2022-02-13


O Museu Nacional de Arte Contemporânea (MNAC), o Loops.Expanded e a Duplacena têm o gosto de apresentar a nova edição de Loops.Expanded em Lisboa.
Vídeo

Maria Eugénia & Francisco Garcia

Uma Coleção

2021-11-18
2022-05-29
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Cristina Azevedo Tavares e Raquel Henriques da Silva
O MNAC expõe a coleção de Maria Eugénia e Francisco Garcia
Exposição temporária

Imago 2021

Joakim Eskildsen

2021-10-14
2022-01-02
O MNAC é, mais uma vez, parceiro do festival Imago Lisboa, cujas propostas expositivas serão distribuídas por vários espaços da cidade e acolhe, na presente edição, o trabalho do fotógrafo, Joakim Eskildsen.
Exposição temporária

Ciclo “Mulheres Pintoras no Mundo Ibero-Americano” 2021- 2022

2021-06-17
2022-03-03
Ciclo de palestras que apresenta Pintoras que foram especialmente actuantes no Mundo Ibero-Americano e que ao longo dos séculos contribuíram para diminuir o preconceito de género e pôr fim a uma série de estereótipos no mundo das artes.
Palestras

Olhares modernos

O retrato em pintura, escultura, desenho (1910-1950)

2021-05-18
2021-12-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Cruzamento de olhares e o gosto por enquadramentos pictóricos na coleção do MNAC.
Exposição temporária

110 anos

2021-05-18
2024-04-01
Uma intervenção que celebra os 110 anos do MNAC.
.