No Terrasse do café des Plaires, c. 1920 - 1930
No Terrasse do café des Plaires, c. 1920 - 1930

Piso 1 e 2

entrada: Condições Gerais

António Soares

Curadoria: Rui Afonso Santos e José Alvarez

António Soares (1894-1978) permanece o único artista relevante do Primeiro Modernismo português que não foi ainda objeto de uma Retrospectiva cientificamente orientada.

Pintor, desenhador, ilustrador, artista gráfico e publicitário, cartazista, cenógrafo, figurinista e designer, António Soares repartiu-se por uma multiplicidade de atividades que marcaram o percurso da Arte Moderna em Portugal.

Artista autodidata, desenhador de expressão simultaneamente francesa (Steinlen) e alemã (o Humorismo germânico), com extensa atividade nos Anos Dez, Soares renovou o seu imaginário quando da visita à magna Exposição das Artes Decorativas e Industriais Modernas de Paris, em 1925.

Um decisivo gosto Art Déco, de inspiração fauve, cubista e expressionista, marcou, desde então, a sua prática de pintor e desenhador, que estendeu às Artes Gráficas e publicitárias, ao Teatro de Revista, do qual foi renovador Moderno, ao desenho de stands e espaços de exposições, de interiores e ambientes, convertendo-se simultaneamente em Designer de vasta influência.

Nos Anos Trinta, o seu imaginário aquietou-se num «Regresso à Ordem» oficializado, sob a matriz espiritual e formal de Columbano.

Jogando entre valores Modernos e Académicos, numa via singular, António Soares foi, então, um Maneirista Moderno, prosseguindo no registo requintado de retratos e de composições decorativas de larga escala, onde a alegoria, a História e o Símbolo confluem.

Premiado pelo SNI (duas vezes Prémio Columbano), prossecutor de atividade de decorador e designer, Soares manifestou, desde os Anos 50 e até à sua morte, a revisitação amaneirada do seu tempo e da sua obra, executando sensíveis paisagens, retratos, cenas de género e composições históricas, sem deixar de exercer manifesta influência sobre a Primeira Geração de Designers Portugueses.

Esta exposição é realizada em parceria com o Museu Nacional do Teatro e da Dança, onde se apresentará simultaneamente a obra teatral do artista, desenhos originais, fotografias e programas de teatro.






Em Exibição

CAIS Urbana

Curadoria: Mistaker Maker
Exposição comemorativa dos 25 anos da Associação CAIS
Exposição temporária

Inês Norton.

Please [do not] touch

2019-06-28
2019-10-27
Curadoria: Adelaide Ginga e Emília Ferreira
Esta exposição de Inês Norton sublinha a necessidade de recuperar a plena consciência do corpo, sob pena de perdermos o essencial do que é ser humano
Exposição individual

Henrique Vieira Ribeiro. O Arquivista. Projeto CT1LN: parte II

2019-06-19
2019-09-15
Curadoria: Adelaide Ginga
Exposição interactiva que consiste na Parte II do Projecto CT1LN, um projecto artístico que teve por mote o espólio de um rádio amador. A segunda parte, que aqui se apresenta, deixa ao público a exploração do tema
Exposição individual

Rui Macedo. (In)dispensável ou a pintura que inquieta a colecção do museu

2019-05-14
2019-09-29
Curadoria: Emília Ferreira
Recordando-nos que um artista é um caçador-recolector, um respigador de sentidos, de formas, problemas e propostas, esta exposição relembra-nos que um museu é um local de constante e inquietante descoberta.
Exposição temporária

A incontornável tangibilidade do livro ou o ANTI-LIVRO

2019-03-22
2019-08-04
Curadoria: Luis Alegre e Adelaide Ginga
Materialmente estimulante, imaterialmente ilimitado, o Livro é talvez, o objeto dos objetos
Exposição Coletiva

ARTE PORTUGUESA. RAZÕES E EMOÇÕES

2018-04-20
2019-10-27
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Emília Tavares, Emília Ferreira
A presente exposição da coleção abrange grande parte do seu arco temporal, desde meados do século XIX até à década de 80 do século XX ocupando a totalidade das galerias da Ala da rua Serpa Pinto
Exposição da coleção