No Terrasse do café des Plaires, c. 1920 - 1930
No Terrasse do café des Plaires, c. 1920 - 1930

Piso 1 e 2

entrada: Condições Gerais

António Soares

Curadoria: Rui Afonso Santos e José Alvarez

António Soares (1894-1978) permanece o único artista relevante do Primeiro Modernismo português que não foi ainda objeto de uma Retrospectiva cientificamente orientada.

Pintor, desenhador, ilustrador, artista gráfico e publicitário, cartazista, cenógrafo, figurinista e designer, António Soares repartiu-se por uma multiplicidade de atividades que marcaram o percurso da Arte Moderna em Portugal.

Artista autodidata, desenhador de expressão simultaneamente francesa (Steinlen) e alemã (o Humorismo germânico), com extensa atividade nos Anos Dez, Soares renovou o seu imaginário quando da visita à magna Exposição das Artes Decorativas e Industriais Modernas de Paris, em 1925.

Um decisivo gosto Art Déco, de inspiração fauve, cubista e expressionista, marcou, desde então, a sua prática de pintor e desenhador, que estendeu às Artes Gráficas e publicitárias, ao Teatro de Revista, do qual foi renovador Moderno, ao desenho de stands e espaços de exposições, de interiores e ambientes, convertendo-se simultaneamente em Designer de vasta influência.

Nos Anos Trinta, o seu imaginário aquietou-se num «Regresso à Ordem» oficializado, sob a matriz espiritual e formal de Columbano.

Jogando entre valores Modernos e Académicos, numa via singular, António Soares foi, então, um Maneirista Moderno, prosseguindo no registo requintado de retratos e de composições decorativas de larga escala, onde a alegoria, a História e o Símbolo confluem.

Premiado pelo SNI (duas vezes Prémio Columbano), prossecutor de atividade de decorador e designer, Soares manifestou, desde os Anos 50 e até à sua morte, a revisitação amaneirada do seu tempo e da sua obra, executando sensíveis paisagens, retratos, cenas de género e composições históricas, sem deixar de exercer manifesta influência sobre a Primeira Geração de Designers Portugueses.

Esta exposição é realizada em parceria com o Museu Nacional do Teatro e da Dança, onde se apresentará simultaneamente a obra teatral do artista, desenhos originais, fotografias e programas de teatro.






Em Exibição

Eileen Gray. E.1027, Arte Total

2021-11-28
2022-02-27
O Museu Nacional de Arte Contemporânea acolhe a exposição ‘Eileen Gray. E.1027, Arte Total’
Exposição temporária

.

2021-11-25
2022-02-13


O Museu Nacional de Arte Contemporânea (MNAC), o Loops.Expanded e a Duplacena têm o gosto de apresentar a nova edição de Loops.Expanded em Lisboa.
Vídeo

Maria Eugénia & Francisco Garcia

Uma Coleção

2021-11-18
2022-05-29
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Cristina Azevedo Tavares e Raquel Henriques da Silva
O MNAC expõe a coleção de Maria Eugénia e Francisco Garcia
Exposição temporária

Imago 2021

Joakim Eskildsen

2021-10-14
2022-01-02
O MNAC é, mais uma vez, parceiro do festival Imago Lisboa, cujas propostas expositivas serão distribuídas por vários espaços da cidade e acolhe, na presente edição, o trabalho do fotógrafo, Joakim Eskildsen.
Exposição temporária

Ciclo “Mulheres Pintoras no Mundo Ibero-Americano” 2021- 2022

2021-06-17
2022-03-03
Ciclo de palestras que apresenta Pintoras que foram especialmente actuantes no Mundo Ibero-Americano e que ao longo dos séculos contribuíram para diminuir o preconceito de género e pôr fim a uma série de estereótipos no mundo das artes.
Palestras

Olhares modernos

O retrato em pintura, escultura, desenho (1910-1950)

2021-05-18
2021-12-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira
Cruzamento de olhares e o gosto por enquadramentos pictóricos na coleção do MNAC.
Exposição temporária

110 anos

2021-05-18
2024-04-01
Uma intervenção que celebra os 110 anos do MNAC.
.