MNAC

entrada: Condições Gerais

Meu Amigo

Obras e Documentos da Coleção Ernesto de Sousa (1921-1988)

2021-05-18
2021-09-26
Voltar ao Programa

Atividades

2021-06-15 18h00
Visita guiada com Emília Tavares
Visita guiada com Emília Tavares

Dia 15 de junho às 18h00.

Entrada gratuita
2021-06-16 18h00
Ernesto de Sousa e o Movimento Neorrealista Português. Palestra por David Santos
O interesse e a ligação de Ernesto de Sousa ao movimento neorrealista português, foi também um envolvimento político. A sua adesão, em 1946, ao Movimento de Unidade Democrática juvenil (MUDJuvenil) bem como a sua amizade com Júlio Pomar, Lima de Freitas ou Manuel Ribeiro de Pavia, foram determinantes para uma adesão estética e política ao movimento. 
Nesta primeira conferência, no âmbito do Programa Paralelo da exposição Meu Amigo, o historiador, curador e ex Diretor do Museu do Neo-Realismo de Vila Franca de Xira, David Santos, abordará as ligações artísticas e teóricas de Ernesto de Sousa com a génese daquele que foi um dos mais relevantes movimentos estéticos da Modernidade.


David Santos (n. 1971)

É historiador de arte e curador.
Doutorado em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra.
É atualmente o Curador da Coleção de Arte Contemporânea do Estado.
Foi Subdiretor Geral do Património Cultural, de 2016 a 2020.
Diretor do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, de 2013 a 2015.
Diretor do Museu do Neo-Realismo, de 2007 a 2013.
Foi curador geral da BF16 (Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira, 2016) e do ciclo “The Return of the Real” (MNR), entre 2007 e 2012. Foi ainda curador, entre outras, das exposições individuais de Nuno Cera, Sara & André e de Daniel Blaufuks, realizadas em 2014, no MNAC-MC.
Publicou “Marcel Duchamp e o readymade – Une Sorte de Rendez-vous” (Assírio & Alvim, 2007), “A Reinvenção do Real – Curadoria e Arte Contemporânea no Museu do Neo-Realismo” (Documenta, 2014), e “A Palavra Imperfeita – Escritos sobre artistas contemporâneos” (Documenta, 2018).
Foi crítico de arte nos semanários “Já” (1996), “O Independente” (1997-2000), e nas revistas “Arte Ibérica” (1997-2000), “artecapital.net” (2006-2007), “Arqa – Revista
de Arquitectura e Arte” (2000-2013) e “contemporanea.pt” (2016).


Dia 16 de junho às 18h00 no MNAC. 

Entrada livre



2021-06-23 18h00
Ernesto de Sousa e Amigos - Leitura de Correspondência por António Borga, Maria Estela Guedes, Patrícia Portela
Ernesto de Sousa e Amigos - Leitura de Correspondência

por António Borga, Maria Estela Guedes, Patrícia Portela

Dia 23 de junho às 18h00 no MNAC
2021-06-29 17h00
Visita guiada com Hilda Frias
Visita guiada com Hilda Frias

Dia 29 de junho às 17h00.

Entrada gratuita
2021-06-30 18h00
Ernesto de Sousa e Almada Negreiros. Palestra por Mariana Pinto dos Santos
Em 1969, Ernesto de Sousa inicia um conjunto de trabalhos em torno de um dos mais representativos artistas da vanguarda modernista portuguesa, Almada Negreiros (1893-1970).
Estudou, inventariou e produziu trabalho artístico e teórico a partir da obra de Almada Negreiros, cuja influência seria determinante para a sua reflexão sobre a história e o futuro da arte.
Mariana Pinto dos Santos, historiadora de arte, curadora, e uma das mais relevantes investigadoras sobre a obra de Ernesto de Sousa e de Almada Negreiros, apresenta nesta conferência a natureza do pensamento de ambos e a sua importância para o ambiente artístico na década de 60/70.

Mariana Pinto dos Santos é historiadora da arte e curadora, com doutoramento em História e Teoria (Facultat de Belles Arts, Univ. Barcelona, 2015). É investigadora integrada no IHA/NOVA FCSH, Lisboa. É autora do livro Vanguarda & Outras Loas. Percurso Teórico de Ernesto de Sousa (2007, 2ª ed 2020), organizou edições e catálogos e publicou ensaios em livros e revistas sobre artistas portugueses do século XX, modernidade e modernismos, historiografia e teoria da arte. Tem publicações internacionais no RIHA Journal, Konsthistorisk tidskrift/Journal of Art History e Artium Quaestiones. Entre outras, foi curadora de exposições na Fundação Calouste Gulbenkian em 2017 e no Instituto Cabañas, Guadalajara, México, em 2018. É co-IR do projecto de investigação PIM – Modernismos Ibéricos e o Imaginário Primitivista (PTDC/ART- HIS/29837/2017).


Dia 30 de junho 2021 às 18h00 no MNAC.

Entrada livre

2021-07-21 18h00
Visita guiada com Isabel Alves
Visita guiada com a organizadora da exposição, Isabel Alves

Dia 21 de julho às 18h00.

Entrada gratuita
2021-07-27 17h00
Visita guiada com Hilda Frias
Visita guiada com Hilda Frias

Dia 27 de julho às 17h00.

Entrada gratuita
2021-08-31 17h00
Visita guiada com Hilda Frias
Visita guiada com Hilda Frias

Dia 31 de agosto às 17h00.

Entrada gratuita
2021-09-08 18h00
Ernesto de Sousa e a criação de um pensamento curatorial. Palestra por Delfim Sardo

Ernesto de Sousa foi o responsável pela criação de um pensamento expositivo e curatorial em Portugal situado no cruzamento entre as vanguardas artísticas, a cultura popular e a noção da exposição como ambiente. O que podemos ainda com ele aprender para um pensamento museal?

Delfim Sardo (1962) é professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e Administrador do Centro Cultural de Belém.
Começou a sua atividade como curador independente em 1990.
Foi consultor da Fundação Calouste Gulbenkian, Diretor do Centro de Exposições do CCB e responsável pela programação de artes visuais da Culturgest. Foi curador da Representação Portuguesa à Bienal de Veneza em 1999 e co-curador da Representação Portuguesa à Mostra Internazionalle di Architettura di Venezia de 2010. Foi curador geral da Trienal de Arquitetura de Lisboa em 2010 e da Bienal Anozero de 2017.
Escreve regularmente sobre arte e arquitetura.

2021-09-21 18h00
Visita guiada com Emília Tavares
Visita guiada com Emília Tavares

Dia 21 de setembro às 18h00.

Entrada gratuita

2021-09-22 18h00
Ernesto de Sousa e a Exposição Alternativa Zero. Palestra com Paulo Pires do Vale
Ernesto de Sousa e a Exposição Alternativa Zero.

Uma palestra com Paulo Pires do Vale.

Quarta-feira, 22 de setembro às 18h00.