Réfraction - impressão digital a jacto de tinta pigmentada sobre papel baritado, 56 x 84 cm © Manuela Marques
Réfraction - impressão digital a jacto de tinta pigmentada sobre papel baritado, 56 x 84 cm © Manuela Marques

MNAC

entrada: Condições Gerais

Echoes of Nature

Manuela Marques

2022-10-21
2023-01-29
Curadoria: Emília Tavares

Echoes of Nature – Manuela Marques

O percurso de Manuela Marques é um dos mais singulares e internacionais da fotografia portuguesa. Apresenta em Portugal, pela primeira vez, uma exposição que congrega vários dos seus trabalhos fotográficos e videográficos, realizados entre 2018 e 2022, como parte integrante de um tríptico expositivo que incluiu apresentações anteriores, no MuMa, (Musée d’art moderne André Malraux), Le Havre, e no Centre d’art Domaine de Kerguéhennec, Bretanha, França.

Echoes of Nature, pauta-se pela observação e pensamento sobre a paisagem e o meio natural nas suas mais variadas facetas, colocando em diálogo discursos científicos, percecionais e estéticos. É a partir de territórios continentais, França e Portugal, e insulares, arquipélago dos Açores, que tem construído um corpo de imagens que elaboram uma abordagem arqueológica sobre a natureza da imagem fotográfica e uma deambulação fenomenológica sobre o conceito artístico da paisagem.

Possuindo uma técnica e um rigor estético notáveis, Manuela Marques aborda a matéria experimental da fotografia em muitas das suas dualidades. Entre uma realidade pulsante e um idealismo verista, uma conceção cartesiana do mundo e um último olhar sublime, transcendental e romântico, e ainda entre a mimesis artística do lugar e a imitação da natureza pela arte.

A observação física da natureza e dos seus fenómenos é registada numa perspetiva de diálogo entre os processos operativos naturais e a constituição da imagem fotográfica. A dimensão telúrica da natureza é um eixo fulcral de muitos destes trabalhos, realizados no vulcão dos Capelinhos, na ilha do Faial, Açores, como por exemplo a série Topographies.  Algumas destas imagens evocam os “mistérios”,  formações lávicas que marcaram a terra e o espírito dos seus habitantes; e a sua observação implica um “stupor”, um silêncio imposto pela transcendência da visão, pela sua incomensurabilidade, ao qual se associa outro conceito partilhado com a imagem fotográfica, o de Revelação.

No vasto conjunto de imagens aqui apresentado, existe uma permuta percetiva e ontológica entre fenómenos naturais e fotográficos, como o sugerem os títulos: ReflexãoRéplicaSuperfície sensível, ou Extração. Desta forma, a matéria da vida torna-se, também ela, um inesperado campo de mediação entre a realidade e a sua própria representação, desafiando o território do fotográfico.

Emília Tavares

...................................................................................

Manuela Marques nasceu em Portugal. Vive e trabalha em Paris.

É representada pela Galeria Fonseca Macedo nos Açores, Galeria Anne Barrault, em Paris, e Galeria Vermelho, em São Paulo.

Tem mostrado o seu trabalho de fotografia e vídeo regularmente em várias instituições tanto em França como internacionalmente. Recentemente apresentou exposições individuais no Museu da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, em Cellier, Reims, França (2017); no Aurillac Museum, França, e no Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Portugal (2016); no Château d' Eau, Toulouse, França; no Centre Régional de la Photographie du Nord-Pas-de-Calais, France, e na Fundação Calouste Gulbenkian, Paris (2014).

Em 2011, na sequência de uma exposição em que combinou a fotografia e a vídeo instalação no Museu Coleção Berardo, Lisboa, foi distinguida com o prémio BESPhoto, 2011. Neste mesmo ano, o seu trabalho foi apresentado na Estação Pinacoteca, São Paulo. Em 2019 realizou exposições no Lodève Museum (França), La-Roche-sur-Yon (França), no Arquipélago Centro de Artes Contemporâneas (Açores) e no Centre D' Art-Domaine de Kerguéhennec (France).

Está representada em várias coleções nacionais e internacionais.


Inauguração: 21 de outubro 2022 – 19h
Datas de exibição: 21 de outubro 2022 – 29 de janeiro 2023
Sala Polivalente, Piso 1 e Sala dos Fornos

Exposição no âmbito da programação da Temporada Portugal-França 2022


Apoios

Em Exibição

IMAGO LISBOA Photo Festival

Harri Pälviranta

2022-10-07
2023-01-08
O IMAGO LISBOA Photo Festival é um acontecimento marcante no panorama da fotografia nacional e internacional. Este ano com a mostra “Battered”; “Choreography of Violence”; “News Portraits”
Exposição individual

Multiplicidade

TRIENAL DE ARQUITETURA DE LISBOA

2022-10-02
2023-01-08
Curadoria: Tau Tavengwa, Vyjayanthi Rao
A cada três anos, a Trienal de Arquitectura de Lisboa realiza um grande fórum de debate, reflexão e divulgação que cruza fronteiras disciplinares e geográficas.
Exposição Coletiva

.

2022-09-23
2022-11-11
Curadoria: RUI AFONSO SANTOS
A casa e a esfera doméstica têm constituído um dos vetores do trabalho de Mimi Tavares.
Exposição individual

PORQUÊ?

2022-09-23
2023-01-08
Curadoria: Ana Matos
PORQUÊ? A ARTE CONTEMPORÂNEA EM DIÁLOGO COM O PENSAMENTO DE JOSÉ SARAMAGO
Exposição temporária

A Pintura sublimou o espírito

2022-07-28
2022-10-30
Curadoria: Hilda Frias
Após residência artística no Museu Nacional de Arte Contemporânea, este é o fruto de um trabalho e pesquisa persistentes, de Nelson Ferreira.
Exposição individual

Veloso Salgado

de Lisboa a Wissant. Itinerário de um pintor português

2022-07-02
2022-12-15
Curadoria: Maria de Aires Silveira, MNAC e Elikya Kandot, Directora do museu de Boulogne-sur-mer
Exposição Veloso Salgado de Lisboa a Wissant. Itinerário de um pintor português - integrada na programação da Temporada Portugal-França (Cruzada)
Fora de Portas

Desde 1911

2022-05-26
2024-04-01
Uma intervenção que celebra os 110 anos do MNAC.
111 anos

Maria Eugénia & Francisco Garcia

Uma Coleção

2021-11-18
2022-12-31
Curadoria: Maria de Aires Silveira, Cristina Azevedo Tavares e Raquel Henriques da Silva
O MNAC expõe a coleção de Maria Eugénia e Francisco Garcia
Exposição temporária